Skip links
Cotovelo de tenista o que é e como tratar

Cotovelo de tenista o que é e como tratar?

Você já ouviu falar em epicondilite lateral? Para muitas pessoas, esse termo é desconhecido, porém, o seu nome popular, cotovelo de tenista, é uma das inflamações mais recorrentes entre esportistas e também por quem realiza movimentos repetitivos nos braços ou ainda devido à sobrecarga. 

Se você conhece alguém que já disse ter cotovelo de tenista ou mesmo recebeu o diagnóstico dessa inflação e está com dúvidas, leia esse conteúdo até o final e entenda todos os detalhes sobre a epicondilite lateral.

Veja o que você encontra nesse artigo:

  • O que é cotovelo de tenista ou epicondilite lateral?
  • Quais os sintomas da epicondilite lateral?
  • O que causa o cotovelo de tenista?
  • Quais os tratamentos para cotovelo de tenista?
  • Como evitar o cotovelo de tenista?

O que é cotovelo de tenista ou epicondilite lateral?

Como falamos, cotovelo de tenista é o nome dado à epicondilite lateral. Essa lesão dos tendões que se fixam no epicôndilo lateral afeta a ligação entre os tendões e o côndilo externo do úmero, área tradicionalmente conhecida como antebraço, próximo ao cotovelo.

Para entendermos melhor essa condição, é necessário apresentarmos, mesmo que de forma rápida, como é a anatomia do cotovelo. 

A área do cotovelo é formada pela justamente pelo osso do braço, cientificamente denominado como úmero, e os ossos do antebraço, que são a ulna e o rádio. Além disso, na ponta inferior do úmero existem duas saliências ósseas, chamadas de epicôndilos medial e lateral, que é a afetada por essa lesão. 

Sobre essa o cotovelo de tenista, é importante destacar que, de acordo com a Sociedade Brasileira de Reumatologia, embora seja chamada de epicondilite, não há qualquer evidência de processo inflamatório nesta lesão. 

Portanto, o cotovelo de tenista ou epicondilite lateral é uma lesão que afeta o antebraço, sobretudo, causada por atividades repetitivas ou peso demasiado. Além disso, como vamos ver a seguir, não é restrita àquelas pessoas que praticam tênis. 

“A epicondilite lateral, também conhecida como cotovelo do tenista, é uma condição comum que acomete de 1 a 3% da população. O termo epicondilite sugere inflamação, embora a análise histológica tecidual não demonstre um processo inflamatório. A estrutura acometida com mais frequência é a origem do tendão extensor radial curto do carpo e o mecanismo de lesão está associado à sua sobrecarga.” Ler mais

O que causa o cotovelo de tenista?

Embora o nome cotovelo de tenista seja a forma mais conhecida de chamar essa lesão, a epicondilite lateral é uma condição que afeta a população geral. 

Números indicam que apenas 5% dos casos dessa lesão estão relacionados à prática de atividades que envolvem o uso de raquetes, como tênis, tênis de mesa, beach tênis e squash. 

A lesão nessa região do braço é causada, principalmente, pelo uso em excesso dos músculos e tendões do antebraço e cotovelo, sobretudo, quando esse uso envolve contrações repetitivas ou tarefas manuais. 

Esse movimento é responsável por colocar tensão grande nos tendões do cotovelo, causando uma necessidade de adaptação na estrutura do tendão e, consequentemente, gerando dor no local. 

Voltando à prática esportiva envolvendo raquetes e tacos, estima-se que cerca de 50% dos atletas amadores e recreativos do esporte desenvolvem esse quadro. Principalmente em pessoas com idade entre 30 e 50 anos e aqueles que possuem backhand (golpe com a mão que não é a principal) de apenas uma mão. 

Nos últimos anos, o número de pacientes com essa lesão aumentou de forma exponencial devido ao aumento da atividade de digitação. Essa ação, quando acontece de forma demasiada, pode causar essa complicação no tendão. 

Por fim, ainda vale destacar que essa condição patológica também pode ser causada por eventos como:

  • Dormir com as mão apertadas de forma forte durante toda a noite. 
  • Trabalhos exclusivamente manuais como carpintaria e operação de máquinas. 
  • Sedentarismo e uso repentino de movimentos do braço. 

Quais os sintomas da epicondilite lateral?

Como falamos, o principal sintoma do cotovelo de tenista é a dor nessa região do braço. Abaixo, vamos explicar melhor como funciona esse e outros sintomas sentidos por quem está com epicondilite lateral. 

Dor: a dor é justamente na região próximo ao cotovelo, ela irradia ao longo dos músculos extensores do antebraço e pode aparecer de forma constante ou repentina, dependendo da utilização do braço e do punho. Normalmente, a dor de quem está com essa lesão aumenta durante alguma prática que envolve o uso do braço.

Perda de força: Geralmente, a primeira forma de identificar é justamente a dificuldade para realizar ações simples do dia a dia como escovar os dentes, escrever ou mesmo levantar um objeto comum. Essa impossibilidade é causada por uma sensação de falta de força, causada por essa lesão nos tendões. 

Sensação de ardor e febre local: em alguns casos, além da dor, é possível também sofrer com a sensação de ardor no local, acompanhada de avermelhamento dessa região, aumento na temperatura e inchaço, mesmo que leve. 

Como tratar cotovelo de tenista (Epicondilite lateral)?

Antes de qualquer informação sobre a epicondilite lateral, é sempre importante lembrar que as informações desse conteúdo não podem ser utilizadas para fins de diagnóstico. Nosso objetivo é esclarecer alguns detalhes sobre essa lesão no cotovelo, porém, o diagnóstico e só pode ser realizado por um médico, devidamente capacitado para tal ação. 

Da mesma forma acontece o tratamento. Antes de começar qualquer ação para tratar uma lesão no cotovelo, é essencial procurar um médico. Esse é o único jeito de garantir que você vai ter um tratamento adequado e que complicações não acontecerão devido ao método errado. 

Dito isso, o primeiro passo para o tratamento do cotovelo de tenista é o repouso. Em boa parte dos casos, uma pausa nas atividades que agravam o quadro é o suficiente para que a dor passe. 

Ainda de acordo com dados da Sociedade Brasileira de Reumatologia, esse repouso é responsável por fazer com que até 80% dos casos sejam tratados e solucionados sem a necessidade de outros métodos. 

Depois disso, atividades como fisioterapia e fortalecimento muscular são importantes para fortalecer a região e permitir maior resistência à estrutura do braço. 

Em raras situações, a intervenção cirúrgica é recomendada. Em casos mais graves, depois de tratamentos tradicionais, o médico pode sugerir a cirurgia no local para tratar essa lesão nos tendões. 

Como prevenir e evitar o cotovelo de tenista?

Por fim, vale a pena deixar claro que existem formas de evitar a ocorrência dessa lesão no cotovelo. Para pessoas que realizam atividades que envolvem ações repetitivas e alto esforço local, a principal solução é entender a melhor postura para execução. 

No caso de atletas, entender os movimentos e executá-los de forma correta é a melhor saída. Para isso, a postura adequada de cada golpe, a terminação do movimento e a intensidade correta são elementos que devem ser compreendidos. 

Além disso, ainda é preciso ter atenção quanto ao equipamento. Usar uma raquete que não é adequado ao seu nível de jogo ou mesmo com desgaste excessivo pode fazer com que seja necessário força demasiada.  

Outra dica interessante para prevenir e evitar a epicondilite lateral é a realização de alongamentos antes e após os exercícios, bem como o aquecimento correto antes de começar uma sequência intensa de treinos ou partidas. 

Nesses pontos, contar com profissionais competentes é algo fundamental. Tanto um médico especialista em medicina esportiva, quanto um fisioterapeuta e um educador físico são fundamentais. 

Esses profissionais conseguem te auxiliar em todos os processos necessários para executar todos os movimentos corretamente e para evitar que uma força demasiada seja aplicada em seu antebraço. 

Aqui na Vicci, você encontra apoio necessário para tratar, evitar e entender caso esteja com algum sintoma de cotovelo de tenista. Entre em contato agora mesmo e agende seu horário.

Leave a comment