Skip links
Fascite Plantar: tudo que você precisa saber

Fascite Plantar: tudo que você precisa saber

Entre as lesões e condições que normalmente afetam atletas e praticantes de esportes, a fascite plantar é uma das mais comuns. No entanto, além desse público, essa inflamação da fáscia plantar também pode acometer pessoas que utilizam calçados pouco confortáveis, como chinelos e sandálias, ou mesmo quem passa muito tempo em pé. 

A questão que vale destacar é que a fascite plantar não é algo incomum, da mesma forma como não é uma lesão que normalmente causa complicações. Porém, deve ser tratada e acompanhada de perto, visto que pode evoluir para outros quadros.

Ao longo deste conteúdo vamos apresentar todas as informações e explicar todos os detalhes que você precisa saber sobre a fascite plantar. Dessa forma, vai entender que aquela dor que sente na sola do pé pode ser essa lesão. Leia esse artigo até o final e entenda sobre o assunto. 


o que é fascite plantar no pé: dor na sola do pé
o que é fascite plantar no pé: dor na sola do pé

O que é fascite plantar no pé?

Fascite plantar é o nome dado ao processo inflamatório ou degenerativo que impacta a região conhecida como fáscia plantar. Estamos falando de um tecido fibroso e conjuntivo, pouco elástico, que recobre a musculatura da sola do pé em toda sua extensão, começando no osso calcâneo (próximo ao calcanhar) e chegando até os dedos do pé. 

Para compreender a natureza dessa inflamação, é importante que você saiba que esse tecido serve, entre outras coisas, para amortecer e proporcionar toda a sustentação do arco plantar. Esse arco é tradicionalmente conhecido como a curva da sola do pé, aquela região que você não toca o chão ao pisar. 

Para ter sucesso nesse processo de sustentação e amortecimento, esse tecido é recoberto de gordura, responsável por absorver os impactos e evita que lesões aconteçam durante a realização de movimentos, mesmo aqueles mais simples como uma caminhada cotidiana. 

Como falamos, quando ocorre um processo inflamatório nesse tecido, normalmente, o diagnóstico mais comum é de fascite plantar. A seguir, vamos apresentar alguns outros detalhes sobre essa lesão, começando com os sintomas associados. 

Sintomas de fascite plantar/ fáscia plantar

Como é de se imaginar, o sintoma mais evidente da fascite plantar é a dor nessa região do pé. Muitos pacientes descrevem as dores como pontadas que surgem em momentos específicos.

Em grande parte dos casos, a dor começa de forma branda e vai evoluindo devido à falta de tratamento correto e, principalmente, mediante a permanência de alguns fatores causadores dessa inflamação.

Sobre essas causas, vamos abordar no próximo capítulo, no entanto, voltando aos sintomas e as dores de uma lesão na fáscia plantar, outro detalhe recorrente é o fato de ser mais evidente no período da manhã, sobretudo ao sair da cama.

Manter-se de pé por um longo período de tempo, realizar atividades que demandam esforço contínuo do pé e, principalmente, praticar algumas atividade física de alta intensidade são fatores que contribuem para a ocorrência de dores. 

Além das dores, outros sintomas comuns apresentados por pacientes que possuem essa inflamação na região do pé são: 

Fascite plantar é um processo inflamatório ou degenerativo que afeta a fáscia plantar, um tecido fibroso, pouco elástico, que recobre a musculatura da sola do pé em toda sua extensão, desde o osso calcâneo até os dedos dos pés.

  • inchaço nos pés, sobretudo próximo ao calcanhar. 
  • vermelhidão nos pés, principalmente na sola. 
  • rigidez nos pés. 
  • sensação de queimação na sola dos pés.

O que causa fascite plantar?

Assim como outras lesões e inflamações ortopédicas, as causas da fascite plantar são várias. No entanto, existem algumas situações bem específicas que contribuem definitivamente para o desenvolvimento dessa condição. Veja quais são: 

Uso de sapatos pouco confortáveis e inadequados

Por mais que tenhamos falado que essa inflamação acontece com maior frequência em atletas e praticantes de atividades físicas, é preciso reforçar que, de acordo com médicos e fisioterapeutas, a principal razão causadora é a utilização de sapatos inadequados. 

Em mulheres, o uso contínuo de sapatos com salto alto pode gerar redução da mobilidade do tendão de Aquiles. Ao encurtar esse músculo, que liga a panturrilha à região do tornozelo, podemos diagnosticar um quadro de fascite plantar.

Além disso, pessoas que usam, de forma demasiada, calçados planos, como sandálias, chinelos e rasteirinhas também podem desenvolver essa inflamação. 

Atividades físicas

Agora sim, a prática de exercícios físicos, principalmente treinos de corrida realizados em superfícies duras, podem causar uma pressão excessiva nos pés e desenvolver esse processo inflamatório.  

Por conta disso, corredores são atentos quando a vida útil do calçado, pois o desgaste pode fazer com que as condições de amortecimento sejam prejudicadas. Além disso, jogadores de futebol também costumam desenvolver essa lesão, muitas vezes por causa da proximidade entre o chão e os pés, mesmo calçados com chuteiras. 

Alterações genéticas

É preciso destacar que a fascite plantar também pode ser causada por uma condição natural do corpo. Nesses casos, o encurtamento da musculatura posterior da perna ou tensões em outras partes do corpo, como um desnivelamento de quadril podem gerar esse processo inflamatório.

Nesses casos, pessoas que possuem pé cavo ou plano possuem maior tendência para esse processo inflamatório. 

Fascite plantar causas: Outras causas comuns também podem incluir:

  • Realização de treinos sem acompanhamento e orientação de profissionais. Vale destacar os casos em que atletas utilizam demasiada carga.  
  • Obesidade e peso excessivo nos pés durante a realização de movimentos. 
  • Envelhecimento natural do indivíduo
  • Diminuição da dorsiflexão do tornozelo (menor que 0º);
  • Retração dos músculos gastrocnémio-solear e isquiotibiais;
  • Secundária a doenças inflamatórias sistémicas.

Quais os tratamentos para fascite plantar?

Antes de qualquer informação sobre o tratamento para essa inflamação na fáscia plantar, é preciso lembrar que qualquer diagnóstico ou ainda recomendação de tratamento só deve ser feito por um médico com toda capacidade para esse processo. 

Dito isso, podemos dizer que o tratamento para casos mais simples começa com o repouso e a adoção de alguns cuidados diários, como a utilização de sapatos específicos ou mesmo palmilhas ortopédicas

Para ajudar nesse primeiro momento, a limitação da atividade física, principalmente os exercícios que envolvem o contato dos pés com o chão, é fundamental.

Além disso, alguns medicamentos para combater processos inflamatórios também podem ser recomendados, além de compressas para amenizar as dores.  

É preciso fazer fisioterapia para fascite plantar?

A fisioterapia é sim uma importante aliada para o tratamento de fascite plantar. Exercícios específicos de alongamento da fáscia plantar e do tendão de aquiles são uma boa opção no tratamento. 

Durante as sessões de fisioterapia normalmente são realizados exercícios que permitam o estiramento (ou alongamento) da fáscia plantar e do gastrocnémio e solear. Além dessas sessões, alguns outros exercícios podem ser indicados pelo profissional de fisioterapia para realização em casa, principalmente ao levantar. 

Como falamos, em boa parte das vezes são atividades simples, realizadas com bolas de tênis, tecidos ou mesmo utilizando apenas o alongamento natural do corpo. 

O que você achou deste conteúdo sobre a fascite plantar? Consegue identificar alguma relação entre dores na sola do pé que sente com as informações que foram apresentadas aqui?

Aqui na Vicci, você encontra uma equipe especializada e preparada para te atender caso esteja com essas dores. Para o diagnóstico de fascite plantar, um médico ortopedista irá analisar e se for preciso fazer a recomendação de fisioterapia, tudo isso aqui mesmo na Vicci.

Entre em contato e agende sua avaliação agora mesmo. 

Leave a comment