Skip links
Hérnia de disco: importância da fisioterapia para o tratamento?

Hérnia de disco: importância da fisioterapia

A hérnia de disco é uma condição mais normal do que você imagina. No entanto, diferentemente do muita gente acredita, existem tratamentos eficientes para essa lesão lombar, possibilitando que seja tratada e que o paciente tenha uma rotina saudável e sem dores. 

Como falamos, essa lesão é comum, de acordo com informação publicada na coluna Eu Atleta do site Globo.com, mais de 50% das pessoas com mais de 50 anos têm ou terão a condição, porém, a maioria dos casos sem nenhum sintoma de dor. Neste conteúdo, vamos explicar todos os detalhes sobre a hérnia de disco e ainda destacar a importância de sessões de fisioterapia para o seu tratamento, confira: 

O que é hérnia de disco?

Hérnia de disco é o nome dado ao processo de deslocamento do disco intervertebral, esse deslocamento acontece, na maioria das vezes, devido a um desgaste dos discos intervertebrais. Como consequência dessa lesão, é possível sentir dores nas costas e mudanças de sensibilidade para coxa, perna e também nos pés. 

Para entendermos o conceito dessa lesão, vamos explorar um pouco a coluna vertebral. A coluna vertebral do corpo humano é composta por 5 partes: 

  • Cervical
  • Torácica
  • Lombar
  • Sacral 
  • Coccígea

Ao longo da coluna vertebral existem articulações compostas pelas vértebras, entre essas estruturas estão os discos intervertebrais, formados por cartilagens, esses anéis fibrosos também possuem um núcleo gelatinoso conhecido como núcleo pulposo.

Esses discos são essenciais, sobretudo, quando olhamos para a sustentação do nosso corpo, além de serem fundamentais para ações de rotação e mesmo de locomoção, visto que atuam de forma a reduzir o impacto de movimentos na coluna. 

Assim a hérnia de disco acontece quando há um desgaste ou fissura desses anéis que ficam entre uma vértebra e outra da coluna vertebral, fazendo com que líquido pulposo extrapole o seu local, reduzindo seu volume e achatando toda estrutura desse disco. 

Tipos de hérnia de disco

Como o vazamento deste líquido é o principal gatilho para a hérnia de disco, podemos encontrar 4 diferentes situações:

Abaulamento discal: esses são os casos mais simples, normalmente são caracterizados por uma mínima deformação do disco, sendo considerados os diagnósticos mais leves. 

Protrusas: neste caso, o disco sofre um alargamento, porém não há vazamento do líquido, aumentando a sensibilidade no local, mas não afetando sua estrutura. 

Extrusas: aqui, há o vazamento do conteúdo líquido do anel, que acaba impactando estruturas próximas à coluna vertebral. 

Sequestradas: nesse quarto tipo de hérnia de disco também há o vazamento do líquido pulposo, porém, afeta o canal medular, impactando outros órgãos e regiões do corpo. Além disso, pode haver a presença de fragmento livre de disco, tornando este tipo o mais sério.  

Sintomas dessa lesão

Como falamos no começo deste conteúdo, o número de pessoas com hérnia de disco não é baixo. Porém, é possível ter este quadro sem o desenvolvimento de sintomas claros ou mesmo com dores leves de forma esporádica. 

Além disso, quando olhamos para os principais diagnósticos da doença, identificamos alguns sintomas que sempre aparecem. Os principais são: 

  • Sensação de formigamento e/ou perda de força nas pernas: isso acontece devido ao impacto nas raízes dos nervos dos músculos da perna
  • Dores: as principais regiões de dores causadas pela hérnia de disco são a coluna, perna, braço e no pescoço. Normalmente, a dor começa na região lombar e tende a irradiar para as pernas. 
  • Alteração no funcionamento da bexiga ou do intestino.
  • Dificuldade em executar movimentos de elevação da parte anterior dos pés. 
  • Cãibras na perna. 

O que causa a hérnia de disco?

Como falamos no começo do texto, a hérnia de disco é resultado de um desgaste ou deslocamento do disco intervertebral, dessa forma, uma das principais causas é o envelhecimento natural e a ação orgânica do peso do corpo humano neste componente com o passar do tempo. 

Isso acontece pois, à medida que envelhecemos, os discos em nossas colunas podem perder sua flexibilidade e elasticidade. Além disso, os ligamentos em torno dos discos se tornam frágeis e rompem com maior facilidade. 

Por fim, questões como pouca atividade física e sedentarismo, tabagismo e má postura também são causadores dessa condição. Por fim, carregar ou levantar muito peso, sobretudo de uma forma incorreta, pode fazer com que o disco intervertebral seja afetado. 

Como prevenir essa lesão?

A seguir, você encontra 3 dicas básicas para evitar os fatores de riscos que contribuem para o surgimento da hérnia de disco. Confira:

  1. Ter cuidado com a postura: manter-se por um longo período de tempo em uma postura inadequada é um dos principais vilões quando falamos em hérnia de disco. Assim, ter cuidado na postura ao sentar-se para trabalhar ou mesmo realizar atividades diárias é fundamental. 
  2. Evitar o sedentarismo: uma rotina sedentária pode fazer com que seu corpo pressione a coluna inferior. Assim, se você passa longos períodos sentados, tente adicionar períodos regulares de exercício diariamente.
  3. Controlar o excesso de peso: a obesidade pode fazer com que você forneça uma carga elevada aos discos da sua coluna. Por isso, é importante ter atenção a este detalhe.

Qual o tratamento para hérnia de disco?

Para começarmos este capítulo, é necessário acabar com um mito. Existe uma falácia de que a maioria dos pacientes que possuem hérnia de disco precisam de uma intervenção cirúrgica. Na verdade, estima-se que em apenas 10% esse procedimento é indicado. 

Para os outros casos, existem alguns outros tratamentos que são totalmente eficientes e menos invasivos. 

Repouso e adoção de uma boa rotina: para os casos mais simples, o repouso é sempre algo a ser considerado. Além disso, a atenção sobre o colchão, postura e mesmo a cadeira que você utiliza em seu dia a dia são fundamentais. 

Vale destacar que, nestes casos, a prática de exercícios de fortalecimento, alongamentos, atividades esportivas devem ser suspensas até a melhora dos sintomas agudos. Especialistas e estudos indicam que boa parte dos casos mais simples são curados a partir da cicatrização natural do corpo, visto que o corpo tende a reabsorver o impacto e reparar o que foi danificado no corpo. 

Medicação: alguns remédios, como analgésicos simples, como dipirona e paracetamol, podem ser utilizados para casos de dor leve a moderada. Lembrando que isso não é um diagnóstico e apenas médicos podem passar uma receita. Desse jeito, na fase mais aguda da lesão, alguns anti-inflamatórios costumam ser indicados. 

Alongamentos: alguns alongamentos da musculatura posterior das pernas, acompanhados de exercícios de extensão lombar e cervical podem ser interessantes para combater dores. 

Cirurgia: o procedimento cirúrgico normalmente é indicado apenas em último caso, quando outros métodos não funcionam ou quando há algum agravamento do caso. 

Importância da fisioterapia para tratar hérnia de disco

Como você viu, alguns exercícios podem ajudar com as dores de hérnia de disco. Assim, a fisioterapia é fundamental para combater os sintomas e também para fornecer maior qualidade de vida ao paciente, visto que é possível aumentar a amplitude de movimentos e aumentar a resistência física.

Por fim, ainda podemos destacar que a fisioterapia pode até evitar a possibilidade de uma cirurgia para resolver o problema.

É sempre importante lembrar que o diagnóstico e a indicação do tratamento só deve ser feito por um médico. Além disso, a fisioterapia precisa seguir a necessidade do paciente, visto que existem diferentes tipos de exercícios, indicados para diferentes estágios da lesão.

Aqui na Vicci, você conta com uma equipe de profissionais preparada para te ajudar, inclusive para tratar lesões como a hérnia de disco.

Entre em contato agora e agende seu horário. 

Leave a comment