Skip links
reumatismo nas pernas

Conheça os sintomas de reumatismo nas pernas

O reumatismo nas pernas é um problema de saúde presente principalmente entre adultos mais velhos, é uma doença que afeta principalmente as articulações o que pode ser extremamente doloroso, limitante e isso está se tornando cada vez mais comum. Neste artigo, discutiremos os sintomas de reumatismo nas pernas, as causas do reumatismo, os tratamentos disponíveis e o porquê dessa enfermidade estar aumentando.

O que é Reumatismo?

Reumatismo não é uma condição específica, mas é um termo genérico usado para descrever diferentes doenças que afetam articulações, músculos, ossos e tecidos conectivos.

Segundo dados da Grupal o termo reumatismo “ abrange mais de uma centena de doenças reumáticas”.

O diagnóstico de reumatismo é feito com base em exames físicos, histórico médico e resultados de exames laboratoriais. O médico avalia os sintomas do paciente, além de examinar as articulações e músculos. Os exames laboratoriais solicitados podem incluir hemograma, velocidade de sedimentação, fator reumatoide, anticorpos antinucleares, entre outros.

Em alguns casos, o médico pode solicitar exames de imagem, como radiografias, tomografias ou ressonância magnética para avaliar as condições das articulações, ossos e músculos. Em casos mais graves, pode ser necessário realizar uma biópsia, que consiste na retirada de uma pequena amostra da área afetada para análise laboratorial.]

O que causa as dores reumáticas?

Existem muitas causas possíveis para o reumatismo nas pernas como, fatores genéticos, hormonais e ambientais que também podem contribuir para o surgimento dessa condição, então é importante estar atento a essas causas e tomar medidas preventivas para manter a saúde das pernas,  como exercícios regulares, alimentação saudável e acompanhamento médico adequado.

Listamos algumas causas que podem levar a esse problema:

  • Doenças autoimunes: como a artrite reumatoide, espondilite anquilosante, lúpus e esclerodermia. Nestas condições, o sistema imunológico do corpo ataca seus próprios tecidos, causando inflamação nas articulações e em outras partes do corpo.
  • Osteoartrite: a forma mais comum de artrite, é uma condição degenerativa que ocorre quando a cartilagem nas articulações se desgasta ao longo do tempo. É mais comum em pessoas mais velhas ou em pessoas que têm lesões articulares repetidas.
  • Fibromialgia: uma condição caracterizada por dor muscular generalizada e sensibilidade ao toque.
  • Gota: é uma forma de artrite causada pelo acúmulo de cristais de ácido úrico nas articulações.
  • Infecções: certas infecções, como a doença de Lyme e a febre reumática, podem causar inflamação nas articulações.
  • Lesões: lesões nas articulações, tendões e ligamentos podem levar ao desenvolvimento de reumatismo.
  • Fatores genéticos: algumas formas de reumatismo, como a artrite reumatoide, tendem a ocorrer em famílias.
  • Estilo de vida: fatores como obesidade, tabagismo e falta de exercício físico regular podem aumentar o risco de desenvolver reumatismo na perna.

Artrite nas pernas

A artrite nas pernas é um termo geral que pode se referir a diferentes tipos de artrite que afetam as articulações das pernas. A artrite é uma condição inflamatória das articulações, e seus sintomas podem incluir dor, inchaço, rigidez e diminuição da amplitude de movimento.

Aqui estão algumas formas comuns de artrite que podem afetar as articulações das pernas:

  1. Osteoartrite:
    • A osteoartrite é a forma mais comum de artrite e ocorre quando a cartilagem que reveste as extremidades dos ossos se desgasta ao longo do tempo. Isso pode afetar qualquer articulação, incluindo as das pernas, como os joelhos e os quadris. A osteoartrite nas pernas pode causar dor, rigidez e dificuldade de movimento.
  2. Artrite Reumatoide:
    • A artrite reumatoide é uma doença autoimune que afeta as articulações, muitas vezes simetricamente. Pode ocorrer nas articulações das pernas, como os tornozelos. A artrite reumatoide pode causar inflamação crônica, dor e deformidades articulares se não for tratada adequadamente.
  3. Artrite Psoriática:
    • A artrite psoriática é uma condição que ocorre em pessoas com psoríase, uma doença de pele. Pode afetar as articulações das pernas, causando inflamação, dor e, em alguns casos, alterações nas unhas e na pele.
  4. Artrite Juvenil:
    • A artrite juvenil é uma forma de artrite que afeta crianças e adolescentes. Pode envolver várias articulações, incluindo as das pernas. Os sintomas incluem dor, inchaço e rigidez.
  5. Espondiloartropatias:
    • Essa é uma categoria de doenças reumáticas que inclui condições como espondilite anquilosante. Essas condições podem afetar as articulações da coluna vertebral e das pernas, causando dor e rigidez.
  6. Gota:
    • A gota é uma forma de artrite que ocorre devido ao acúmulo de cristais de ácido úrico nas articulações. Pode afetar qualquer articulação, incluindo as das pernas. A gota geralmente causa ataques súbitos de dor intensa.
  7. Artrite Pós-Traumática:
    • Após lesões traumáticas nas articulações das pernas, pode ocorrer artrite pós-traumática. O desgaste nas articulações devido ao trauma pode levar a sintomas de artrite.

O tratamento da artrite nas pernas depende do tipo específico de artrite e da gravidade dos sintomas. Pode incluir medicamentos anti-inflamatórios, modificação do estilo de vida, fisioterapia e, em alguns casos, procedimentos cirúrgicos. É fundamental consultar um médico para obter um diagnóstico adequado e um plano de tratamento personalizado.

Reumatismo sintomas

O diagnóstico de reumatismo na perna pode ser desafiador, já que muitos dos sintomas de reumatismo nas pernas são semelhantes a outras condições médicas. Portanto, é importante procurar um médico especialista em reumatologia para obter um diagnóstico preciso e tratamento adequado para o seu caso.

Os sintomas de reumatismo nas pernas mais comuns costumam ser dor e inchaço nas articulações afetadas. A dor pode variar de leve a grave, dependendo da gravidade da condição, confira:

  • Dor nas articulações: a dor pode ser leve ou intensa, e pode ser sentida em uma ou várias articulações.
  • Inchaço e rigidez nas articulações: as articulações podem ficar inchadas, rígidas e dolorosas, especialmente de manhã ou depois de ficar sentado ou de pé por longos períodos.
  • Vermelhidão e calor nas articulações: a pele em torno das articulações pode ficar quente e vermelha.
  • Fadiga: pode haver uma sensação geral de cansaço e falta de energia.
  • Febre: em algumas condições, como a febre reumática, pode haver febre baixa.
  • Dor muscular: os músculos podem ficar doloridos e sensíveis ao toque.
  • Dormência e formigamento: em algumas condições, como a esclerose múltipla, podem ocorrer dormência e formigamento em diferentes partes do corpo.
  • Problemas de movimento: a capacidade de se mover pode ser afetada, com dificuldade para realizar atividades diárias, como caminhar ou segurar objetos.
  • Problemas respiratórios: em condições como a esclerodermia, pode ocorrer falta de ar e tosse seca.

Quais os primeiros sintomas de artrite?

Uma dúvida comum entre os pacientes é saber indentificar como é a dor de reumatismo nas pernas e para isso é necessário conhecer quais são os primeiros sintomas de artrite podem variar dependendo do tipo de artrite. No entanto, alguns sintomas comuns incluem:

  • Dor nas articulações: Esta é a queixa mais comum de pessoas com artrite. A dor pode ser leve ou grave, e pode ser constante ou intermitente.
  • Inchaço nas articulações: O inchaço é causado pela inflamação das articulações. Pode ser doloroso e pode dificultar o movimento das articulações.
  • Rigidez nas articulações: A rigidez é causada pela inflamação e pelo dano articular. Pode ser pior pela manhã ou depois de períodos de inatividade.
  • Perda de movimento nas articulações: A perda de movimento é causada pela inflamação e pelo dano articular. Pode dificultar o desempenho de atividades diárias, como vestir-se, comer e pentear o cabelo.

É importante procurar um médico se você tiver algum desses sintomas. O diagnóstico precoce e o tratamento adequado é essêncial para reduzir a dor, melhorar a função física e evitar complicações mais graves nas articulações.

Reumatismo é grave?

Como já visto anteriormente, “Reumatismo” é um termo geralmente utilizado para descrever várias condições médicas que afetam as articulações, músculos e tecidos conjuntivos. Não é uma condição específica, mas sim um termo abrangente que engloba várias doenças reumáticas. Algumas das condições mais comuns associadas ao termo “reumatismo” incluem osteoartrite, artrite reumatoide, lupus, fibromialgia, entre outras.

A gravidade do reumatismo varia significativamente, dependendo da condição específica e da sua gravidade. Algumas formas de reumatismo, como a osteoartrite, podem ser crônicas, progressivas e causar desconforto e limitações nas atividades diárias, mas podem ser gerenciadas com tratamentos adequados. Outras condições, como a artrite reumatoide, podem ser mais graves e requerer tratamento mais intensivo.

É importante reconhecer que algumas doenças reumáticas são autoimunes, o que significa que o sistema imunológico ataca erroneamente as próprias células e tecidos do corpo. Essas condições podem ter impactos sistêmicos e afetar órgãos internos, além das articulações.

Alguns sinais de gravidade ou complicações potenciais associadas a doenças reumáticas podem incluir:

  1. Dor Intensa e Incapacitante: Se a dor nas articulações for severa e impactar significativamente a qualidade de vida, pode ser considerada uma condição mais grave.
  2. Deformidades Articulares: Algumas condições, como a artrite reumatoide não controlada, podem levar a deformidades articulares permanentes.
  3. Comprometimento de Órgãos Internos: Em certas doenças reumáticas, como o lúpus, órgãos internos, como rins, pulmões e coração, podem ser afetados, o que pode representar riscos à saúde.
  4. Impacto Sistêmico: Doenças reumáticas autoimunes podem causar sintomas sistêmicos, como fadiga, febre e perda de peso, indicando uma possível atividade mais agressiva da doença.
  5. Dificuldades Respiratórias ou Cardíacas: Algumas doenças reumáticas podem afetar os pulmões e o coração, levando a complicações respiratórias ou cardiovasculares.
  6. Limitações Funcionais Graves: Se a capacidade funcional é significativamente comprometida, isso pode indicar uma forma mais grave de reumatismo.

É essencial consultar um médico para um diagnóstico preciso e um plano de tratamento adequado. Muitas condições reumáticas podem ser gerenciadas efetivamente com medicamentos, fisioterapia, mudanças no estilo de vida e, em alguns casos, cirurgia. O tratamento precoce e adequado pode ajudar a controlar os sintomas, reduzir a progressão da doença e melhorar a qualidade de vida.

Qual é o exame para saber se tem artrite?

O exame para saber se tem artrite é o exame físico e os exames laboratoriais.

Exame físico

O exame físico é realizado pelo médico para avaliar a dor, a inflamação e a perda de movimento nas articulações. O médico também avaliará outros sinais e sintomas de artrite, como febre, fadiga e perda de peso.

Exames laboratoriais

Os exames laboratoriais podem ajudar a confirmar o diagnóstico de artrite e identificar a causa da doença. Os exames laboratoriais comuns incluem:

  • Velocidade de hemossedimentação (VHS): Este exame mede a rapidez com que os glóbulos vermelhos se sedimentam no sangue. A VHS elevada pode ser um sinal de inflamação.
  • Proteína C-reativa (PCR): Este exame mede a quantidade de proteína C-reativa no sangue. A PCR elevada também pode ser um sinal de inflamação.
  • Fator reumatoide (FR): Este exame detecta a presença de um anticorpo chamado fator reumatoide. O FR é encontrado em pessoas com artrite reumatoide, mas também pode ser encontrado em pessoas com outras condições, como infecções ou doenças autoimunes.
  • Anticorpo anti-peptídeo citrulinado cíclico (anti-CCP): Este exame é mais específico para artrite reumatoide do que o FR.
  • Radiografia: A radiografia pode mostrar danos às articulações, como erosões ou descalcificações.
  • Ressonância magnética (RM): A RM pode fornecer imagens mais detalhadas das articulações do que a radiografia.
  • Ultrassonografia: A ultrassonografia pode ser usada para avaliar a inflamação e o dano articular.

O médico pode solicitar outros exames laboratoriais ou de imagem, dependendo dos sintomas do paciente e dos resultados dos exames iniciais.

Tratamentos para reumatismo nas pernas

O reumatismo nas pernas pode ser tratado com vários métodos, dependendo da causa específica e da gravidade da condição. Algumas opções comuns de tratamento incluem:

  • Exercícios: Exercícios de fisioterapia e alongamento podem ajudar a fortalecer os músculos e reduzir a dor e a rigidez nas pernas.
  • Terapia quente e fria: Alternar compressas quentes e frias nas pernas pode ajudar a aliviar a dor e a inflamação.
  • Perda de peso: A perda de peso pode reduzir a pressão nas articulações e diminuir a dor nas pernas.
  • Dieta saudável: Uma dieta rica em frutas, legumes e alimentos integrais pode ajudar a reduzir a inflamação nas articulações e melhorar a circulação sanguínea.
  • Terapia ocupacional: A terapia ocupacional pode ajudar a adaptar o ambiente doméstico para reduzir a pressão nas articulações e melhorar a mobilidade.
  • Cirurgia: Em alguns casos, a cirurgia pode ser necessária para corrigir danos nas articulações e melhorar a função das pernas.

Cirurgia de reumatismo nas pernas

O tratamento cirúrgico para condições reumáticas nas pernas pode ser considerado em casos específicos e depende da gravidade da doença, do tipo de condição reumática e da resposta ao tratamento conservador. Algumas cirurgias que podem ser consideradas para tratar condições reumáticas nas pernas incluem:

  1. Artroplastia (Substituição Articular): Em casos graves de osteoartrite ou artrite reumatoide que não respondem bem ao tratamento conservador, a substituição articular pode ser uma opção. Isso envolve a remoção da articulação danificada e a substituição por uma articulação artificial.
  2. Artrodese (Fusão Articular): A artrodese é um procedimento em que uma articulação é fundida cirurgicamente para reduzir a dor e melhorar a estabilidade. Pode ser considerada em casos de artrite grave ou deformidades articulares.
  3. Sinovectomia: Em alguns casos de artrite reumatoide, pode ser realizada uma sinovectomia, que envolve a remoção cirúrgica da membrana sinovial inflamada nas articulações.
  4. Tenotomia ou Tenossinovectomia: Em casos de envolvimento tendinoso significativo, procedimentos como tenotomia (corte parcial do tendão) ou tenossinovectomia (remoção da bainha do tendão) podem ser considerados.
  5. Correção de Deformidades: Cirurgias ortopédicas podem ser realizadas para corrigir deformidades articulares resultantes de condições reumáticas, especialmente em casos de artrite juvenil.
  6. Procedimentos Artroscópicos: Em alguns casos, procedimentos artroscópicos podem ser utilizados para realizar reparos ou remoção de tecidos danificados nas articulações.

É importante ressaltar que a decisão de realizar uma cirurgia dependerá da avaliação individualizada feita pelo médico, considerando a gravidade da condição, o impacto na qualidade de vida do paciente e a resposta aos tratamentos não cirúrgicos.

Antes de considerar qualquer procedimento cirúrgico, é crucial discutir as opções, riscos e benefícios com o médico especialista, que pode ser um reumatologista ou um ortopedista, dependendo da natureza da condição reumática. O tratamento multidisciplinar, que pode incluir medicamentos, fisioterapia e outros tratamentos conservadores, é geralmente explorado antes de optar por intervenções cirúrgicas.

Reumatismo tem cura?

O termo “reumatismo” é bastante genérico e não se refere a uma condição médica específica, mas sim a um conjunto de sintomas relacionados ao sistema musculoesquelético. Existem diversas condições reumáticas, como artrite, osteoartrite, artrite reumatoide, entre outras, que podem ser associadas ao termo “reumatismo”.  A resposta curta é não, o reumatismo não tem cura. No entanto, o tratamento pode ajudar a controlar os sintomas e melhorar a qualidade de vida do paciente.

Por que está aumentando?

Existem várias possíveis razões pelas quais o reumatismo nas pernas está aumentando. Uma delas é o envelhecimento da população em geral, já que o envelhecimento leva a uma degeneração das articulações. 

Além disso, as mudanças nos hábitos alimentares, o aumento da obesidade e a falta de atividade física também podem contribuir para o aumento do reumatismo nas pernas.

Conclusão

Existem muitas causas possíveis para o reumatismo nas pernas, desde problemas hormonais e má alimentação até lesões e envelhecimento. Os sintomas da doença são geralmente dor, inchaço e rigidez, e o tratamento inclui terapias físicas e ocupacionais e tratamentos alternativos. Embora não exista cura para o reumatismo, o tratamento pode ajudar a controlar os sintomas e melhorar a qualidade de vida do paciente.

Se está passando por essa condição em sua saúde e procura alívio para os sintomas de reumatismo nas pernas, a Clínica Vicci em BH possui profissionais especialistas que podem te ajudar.

Entre em contato conosco e agende uma consulta agora mesmo.

Leave a comment