Skip links
Torcicolo: como a fisioterapia pode solucionar esse problema

Torcicolo: como a fisioterapia pode solucionar esse problema

Acordar com dor na região do pescoço é uma situação muito comum entre as pessoas, principalmente quem possui entre 20 e 30 anos. Nestes momentos, existem várias teorias sobre a causa e apenas uma certeza: trata-se de torcicolo. 

Porém, diferentemente do que muita gente acredita, existem vários elementos que podem influenciar a aparição dessas dores no pescoço e de um quadro de torcicolo. Inclusive, pode ser um sintoma de algo mais sério e gerar outros problemas. 

Por isso, ao longo desse conteúdo vamos apresentar os detalhes sobre torcicolo e mostrar como a fisioterapia pode solucionar esse problema de uma vez por todas. Acompanhe.

O que é torcicolo?

Torcicolo pode ser definido como a tensão e contração intensa dos músculos da região do pescoço. Como resultado, há uma inclinação direcionada para um lado do corpo, gerando dores na região e dificuldade de movimentação da cabeça e outras regiões como ombros e costas. 

O termo torcicolo pode ser entendido por meio de sua origem etimológica. Afinal, pescoço (colo) e torto é uma tradução e adaptação livre dessa palavra. Ademais, mesmo que essas dores estejam no pescoço, existem alguns tipos de torcicolo. A seguir você conhece os principais. 

Tipo de torcicolo

  • Torcicolo congênito: esse tipo de torcicolo é muito comum em recém-nascidos. Afeta o  músculo lateral do pescoço, fazendo com que os bebês permaneçam com a cabeça inclinada. 
  • Torcicolo dermatológico: como o nome sugere, esse tipo de torcicolo está relacionado com alguma lesão na pele. Assim, a limitação do movimento e as dores podem ser causadas pela cicatrização dessas lesões. 
  • Torcicolo espasmódico: esse é o tipo mais comum de torcicolo em adultos e jovens, gerando contração involuntária dos músculos cervicais. É resultado de ações como tensão emocional, esforço demasiado em atividades físicas, trauma por deslocamento repentino ou mesmo permanência na mesma posição por períodos prolongados sem qualidade necessária. 
  • Torcicolo vestibular: esse tipo de torcicolo acontece devido à disfunção do labirinto, estrutura responsável pelo equilíbrio do ser humano. Na prática, quando há falta de harmonia nesse equilíbrio, a tendência é a compensação com a posição da cabeça, o que gera torcicolo. 

Além desses tipos, ainda existem torcicolos neurogênicos, oculares e reumatológicos, casos mais raros e que são decorrentes de problemas em outras regiões do corpo ou consequências de quadros específicos, como um AVC. 

Quais são os sintomas de torcicolo?

Como falamos, torcicolo é a tensão dos músculos do pescoço e acaba causando dor e desconforto nessa região. Porém, além disso, esse quadro ainda pode ser acompanhado de outros sintomas. Confira quais são:

  • Dificuldade de movimentação: em decorrência da tensão, o principal sintoma depois da dor é a dificuldade de realizar movimentos básicos, como virar a cabeça para o lado e movimentar em diferentes direções. 
  • Dor em outras partes do corpo: além das dores no pescoço, em alguns casos, o paciente também pode sentir dores em outras regiões como a cabeça, nos braços e forte dor nas costas.  
  • Ombro mais alto de um lado do corpo: esse quadro pode interferir na posição do ombro, fazendo com que um lado fique mais alto em decorrência da tensão dos músculos na região do pescoço. 

Quais são as principais causas de torcicolo?

As principais causas de torcicolo estão relacionadas à postura, permanência em uma determinada posição (como na direção de um carro), noite mal dormida, prática excessiva de atividades que envolvem levantamento de peso. Porém, existem algumas outras que merecem destaque. 

  1. Traumatismos: em caso de pancadas ou impacto forte na região que engloba a cabeça e o pescoço, o resultado comum é a queixa de torcicolo. 
  2. Espasmos musculares: pessoas que sofrem com doenças propensas ao acontecimento de espasmos musculares tendem a reclamar de torcicolo. Um bom exemplo é a Doença de Parkinson que pode gerar esse tipo de sintoma. 
  3. Doenças nas costas: doenças nas costas também podem causar torcicolo. Quem tem problemas como hérnia de disco e escoliose, por exemplo, está mais propenso a esse sintoma. 
  4. Estresse: o estresse é um outro importante elemento capaz de causar torcicolo. Afinal, o estresse pode impactar a tensão muscular e fazer com que a região do pescoço sofra com rigidez. 
  5. Problemas congênitos: exclusivo ao tipo de torcicolo congênito, a causa é o fato do bebê nascer com uma alteração muscular na região do pescoço, resultando em uma postura de sobrecarga. 

Quais são os tratamentos comuns para torcicolo?

É importante destacar que, em boa parte dos casos, o quadro de torcicolo dura apenas alguns dias, sendo que 48 horas é média global de duração de dores intensas e o quadro tende a melhorar completamente em um período que varia entre 3 e 5 dias.

Isso acontece principalmente nos casos relacionados à má postura, noites sem qualidade e ainda problemas na prática de atividades físicas. 

É sempre importante destacar que, caso essas dores não passem ou sejam contínuas, é preciso procurar um médico para que exames e um diagnóstico completo sejam definidos. No entanto, para casos mais simples e dores que aparecem momentaneamente, existem alguns tratamentos para aliviar a dor e prevenir que aconteçam. 

Tratamentos para aliviar torcicolo

Analgésicos e anti-inflamatórios são utilizados para aliviar a dor e relaxantes musculares para evitar espasmos. Atualmente, é possível encontrar relaxantes que atuam diretamente no local, que podem ser colocados como adesivos sobre a região. 

Além disso, água quente e massagem na região são outras soluções caseiras normalmente recomendadas em casos mais leves. E claro, todas essas dicas, acompanhadas de repouso e atenção quanto à evolução das dores.  

Para evitar que esse problema seja uma constante, a indicação é atenção à postura, posição de trabalho, travesseiro e prática de exercícios físicos. E, casos específicos, é necessário procurar um fisioterapeuta para tratamento de fortalecimento dos músculos da coluna cervical. 

Sobre isso, vamos falar com detalhes a seguir para que você entenda a importância de contar com um fisioterapeuta para solucionar de uma vez por todas os problemas com torcicolo. 

Como a fisioterapia atua em casos de torcicolo?

Buscar tratamento fisioterápico é fundamental, sobretudo, para aquelas pessoas que sofrem constantemente com dores no pescoço e torcicolo. Durante as sessões de fisioterapia, serão desenvolvidos exercícios que atuam diretamente nos músculos responsáveis pela sustentação da coluna cervical. 

Esses exercícios são baseados em alongamentos do pescoço e dos músculos das costas que afetam essa região. Além disso, o tratamento também passa pelo conhecimento sobre boas práticas de posicionamento durante o dia e mesmo durante as noites. 

Dessa forma, eles serão fortalecidos e alongados. O resultado é a melhora da postura e a  descompressão de raízes nervosas dessa região, liberando a tensão existente e permitindo que movimentos sejam realizados sem dificuldade. 

Além disso, o fisioterapeuta planeja um plano de exercícios pensando na evolução do paciente de forma que ao decorrer do tempo obtenha resultados como o ganho da amplitude do movimento do pescoço e o alinhamento do corpo.  

Portanto, a dica final é, ao sentir que as dores estão graves, procurar um médico especializado para diagnóstico e receber a recomendação do tratamento adequado para o seu quadro. 

Está sofrendo com torcicolo? Com essas informações você sabe o que fazer e como observar esse quadro. Para mais informações.

Entre em contato com nosso time de especialistas e fique mais perto de ajuda fisioterápica para lidar com dores do pescoço. 

Leave a comment