Skip links
Importância da nutrição para o tratamento de diabetes

Importância da nutrição para o tratamento de diabetes

A nutrição é uma das áreas médicas que mais ganhou destaque nos últimos anos. Muito relacionada à busca por uma rotina mais saudável e qualidade de vida, o acompanhamento nutricional também tem sido responsável por bons resultados quando olhamos para o tratamento de diabetes. 

De acordo com informações do Ministério da Saúde, o Brasil é o 5º país em incidência de diabetes no mundo, com 16,8 milhões de doentes adultos. Ainda segundo esses dados, até 2030, o número de pessoas com a doença deve chegar a 21,5 milhões em todo território nacional. 

Dessa forma, é preciso entender alguns detalhes sobre essa doença e a importância da nutrição para o tratamento de diabetes. Assunto que é o tema desse conteúdo. 

O que é diabetes?

Para entendermos a importância da nutrição para o tratamento de diabetes, é necessário antes explicarmos algumas características dessa doença. 

Diabetes é o nome dado à doença causada por complicações na produção ou na absorção de insulina pelo corpo humano, gerando o aumento do nível de glicose no sangue, processo chamado de hiperglicemia. A insulina é um tipo de hormônio que é produzido pelo pâncreas e possui um papel fundamental para a quebra de açúcar no sangue (glicose). 

Portanto, a diabetes é uma doença que está relacionada diretamente com a alimentação, visto que o consumo de açúcar precisa ser compatível com a capacidade do corpo de processar essa substância. 

Abaixo, vamos entender como funciona o tratamento de diabetes e estabelecer a importância de um acompanhamento nutricional. Acompanhe:

Como é o tratamento da diabetes?

O tratamento de diabetes passa pelo controle e redução dos níveis de glicose no sangue e também pela adoção de uma rotina mais saudável e controlada, sobretudo olhando para alimentação e práticas diárias como atividades físicas. A seguir, vamos entender os detalhes de cada uma dessas etapas. 

Tratamento para diabetes com remédios

Hoje em dia é possível contar com uma ampla lista de medicamentos que auxiliam pacientes em tratamento de diabetes. Esses remédios dependem do tipo da doença e também das características de cada pessoa. 

Os medicamentos antidiabéticos mais comuns são: Glibenclamida, Gliclazida, Metformina ou Vildagliptina. Vale a pena destacar que o diagnóstico e a receita de medicação são ações que só podem ser realizadas por médicos. A automedicação não é uma prática segura. 

Tratamento via doses de insulina

Um dos caminhos mais tradicionais para o tratamento de diabetes passa pela aplicação de doses de insulina. 

Atualmente, existem várias formas de aplicação dessa insulina sintética, possibilitando que o corpo tenha um volume maior do hormônio e consiga realizar a transmissão da glicose para todas as áreas do corpo. 

Esse método é utilizado, sobretudo, em casos de pacientes que contam com baixa produção de glicose. Além disso, ainda é preciso saber que existem diferentes tipos de insulina, cabe ao médico entender qual o tipo mais indicado para cada paciente. 

Tratamento de diabetes por meio de exercícios físicos

Entre os tratamentos naturais, a prática de atividades físicas de forma regular é uma ação que ganha cada vez mais destaque e importância para a rotina de um paciente diagnosticado com diabetes. 

O motivo é bem simples: estudos comprovam que uma rotina de atividade física ajuda a regular os níveis de açúcar no sangue, diminui a resistência à insulina e ainda contribui para o bom funcionamento do sistema cardiovascular e do sistema respiratório. 

De uma forma geral, essa rotina é fortemente recomendada quando o nível de glicemia no sangue está abaixo de 250 mg/dL. 

Normalmente, a indicação é que esses exercícios estejam presentes em, pelo menos, 3 momentos durante a semana. 

Sobre a relação entre diabetes e atividades físicas é preciso destacar que as demandas particulares devem ser entendidas para a definição de uma rotina de treinos saudável. Pessoas que contam com alguma complicação em decorrência da doença, como retinopatia ou ferida nos pés, por exemplo, devem evitar algumas atividades que causem impactos. 

No contexto geral, atividades de intensidade moderada e alta são recomendadas.  Caminhada, corrida, dança, ciclismo, natação ou remo e mesmo musculação podem ser caminhos eficientes para aumento da massa muscular, contribuindo para a melhoria da sensibilidade da insulina. 

Por fim, o último ponto é sobre a necessidade de contar com o apoio de um educador físico. Esse profissional precisa saber sobre essa condição e levar em conta essa doença na hora de criar a rotina de treinos. 

Dieta para tratamento de diabetes

A alimentação exerce um papel muito importante para o tratamento de diabetes. Ter uma alimentação saudável é um dos pilares para ter qualidade de vida e, nesse caso, é importante para ajudar o corpo no controle dos hormônios necessários para o sangue. 

Procurar um nutricionista é um dos primeiros passos do tratamento, afinal, esse profissional sabe quais alimentos devem estar presentes nessa dieta e consegue estabelecer um plano alimentar, com quantidades e porções indicadas.  

Alimentos que normalmente são priorizados durante a construção de um plano alimentar para pacientes com diabetes:

  • Grãos integrais: sobretudo a farinha de trigo integral, o arroz e o macarrão integrais, flocos de aveia e quinoa;
  • Leguminosas: como feijão, soja, grão-de-bico, lentilha e ervilha;
  • Legumes em geral: preferindo os frescos, como alface, tomate, rúcula, acelga, abóbora, vagem, cebola.
  • Carnes magras: peixes brancos, frango, carne bovina magra, como músculo e patinho.
  • Frutas em geral: priorizando as frescas e inteiras ou em pedaços, como laranja, mamão, pêra, abacaxi, pêssego e tangerina.
  • Gorduras boas: de frutas como abacate e coco, e óleos vegetais como azeite extra virgem, óleo de abacate e manteiga. 
  • Oleaginosas: castanhas, amendoim, avelãs, nozes e amêndoas.
  • Leite e derivados: nesse tópico, vale a pena destacar que é sempre mais recomendado o consumo de alimentos que não possuem adição de açúcar e que sejam mais leves como iogurte natural desnatado, queijos brancos como ricota

Alimentos que normalmente devem ser evitados:

  • Açúcar e doces em geral, como chocolates, balas e bolos. 
  • Mel e geleia de frutas. 
  • Bebidas açucaradas, como refrigerantes, sucos industrializados, achocolatados;
  • Tubérculos em geral, como batata, batata doce, mandioca e inhame. O carboidrato precisa ser controlado, focando em alimentos integrais. 
  • Carnes processadas, como presunto, peito de peru, salsicha, linguiça, bacon, mortadela e salame;
  • Bebidas alcoólicas, como cervejas, vinhos e destilados.

Como contar com um acompanhamento nutricional?

Atualmente, encontrar um bom apoio nutricional é um caminho essencial, sobretudo para quem foi diagnosticado com diabetes. Como vimos, alguns alimentos devem estar em um plano alimentar, destacando ainda mais a necessidade de um nutricionista. 

É possível encontrar várias receitas, dietas e programas alimentares na internet. Essas dicas, quase sempre, servem como base para a alimentação diária, porém, não substituem o trabalho de um profissional de nutrição. 

Um plano alimentar eficiente deve levar como base alguns dados individuais, sejam referentes à rotina de cada pessoa, aos gostos alimentares de cada um ou mesmo das restrições. 

Aqui na Vicci, você tem acesso a um acompanhamento nutricional que leva em consideração as suas demandas. Além disso, ainda é possível contar com outros profissionais, para ter uma rotina ainda mais saudável.

Portanto, agora que você entendeu a importância da nutrição para o tratamento de diabetes, o próximo passo é entrar em contato com a clínica Vicci e marcar sua consulta e ficar mais perto de contar com um plano alimentar que proporciona maior qualidade de vida. 

Entre em contato

Leave a comment