Skip links
5 tratamentos não invasivos para lesões ortopédicas

5 tratamentos não invasivos para lesões ortopédicas

A adoção de tratamentos não invasivos para lesões ortopédicas é uma tendência cada vez mais presente em clínicas e hospitais. Se antigamente a solução passava por intervenção cirúrgica, hoje, é possível encontrar métodos que não agridem tanto o corpo humano. 

No entanto, o que pode ser considerado um tratamento não invasivo? Quais as vantagens da utilização dessas práticas e como buscar esse tipo de tratamento? Ao longo desse conteúdo, vamos responder essas e outras perguntas. 

O que você encontra nesse artigo:

  • O que são tratamentos não invasivos.
  • Vantagens dos tratamentos não invasivos.
  • 5 tratamentos não invasivos para lesões ortopédicas.
    1. Subcondroplastia para artrose no joelho
    2. Aparelho Pulsed Signal Therapy (PST)
    3. Recovery Pump
    4. Acupuntura
    5. Terapia por ondas de choque

O que é não invasivo?

Podemos definir tratamentos não invasivos como procedimentos que não são baseados em cirurgias ou cortes profundos no corpo do ser humano. Além disso, outra característica é a exclusão da necessidade de internação e pouca exposição a riscos como vírus em salas cirúrgicas. 

Diferentemente dos métodos tradicionais ou tratamentos invasivos, esses tratamentos não invasivos, geralmente, utilizam tecnologias, métodos baseados em choques, ondas ou mesmo estímulos e, constantemente, servem para estimular o corpo a ajudar na melhora. 

Diferença entre procedimento invasivo e não invasivo

A diferença entre procedimentos invasivos e não invasivos está relacionada à forma como eles afetam o corpo e a extensão da intervenção realizada.

Procedimentos invasivos:
Os procedimentos invasivos envolvem a introdução de instrumentos ou dispositivos no corpo do paciente, através de incisões ou aberturas. Eles podem exigir anestesia local ou geral, e geralmente são realizados em ambientes hospitalares ou cirúrgicos. Esses procedimentos podem incluir cirurgias, biópsias, inserção de cateteres ou outros instrumentos para diagnóstico, tratamento ou remoção de tecidos ou órgãos afetados. Como exemplo, temos a cirurgia cardíaca ou a colocação de um cateter para tratamento de uma doença arterial.

Procedimentos não invasivos:
Os procedimentos não invasivos não requerem incisões ou aberturas significativas no corpo do paciente. Eles são realizados na superfície externa do corpo ou através de técnicas de imagem, como radiografias, ultrassonografias ou ressonâncias magnéticas. Esses procedimentos são geralmente menos traumáticos, não causam danos teciduais significativos e podem ser realizados em ambientes ambulatoriais ou clínicos. Exemplos de procedimentos não invasivos incluem exames de sangue, radiografias, fisioterapia, terapia com laser, acupuntura e ultrassonografia.

A escolha entre um procedimento invasivo ou não invasivo depende do diagnóstico, gravidade da condição, riscos associados ao procedimento e preferências do paciente. Em muitos casos, os procedimentos não invasivos são preferíveis, pois podem ser menos dolorosos, exigem menos tempo de recuperação e apresentam menor risco de complicações. No entanto, em certos casos, a intervenção invasiva pode ser necessária para obter diagnósticos mais precisos ou realizar tratamentos mais eficazes.

Vantagens dos tratamentos não invasivos

As grandes vantagens dos tratamentos não invasivos giram em torno do tempo necessário de recuperação e nos danos causados por esse procedimento nos pacientes. Como falamos, por definição, os tratamentos não invasivos não necessitam de processos relacionados à cirurgia, como internação e possibilidade de complicações. 

Olhando as lesões ortopédicas, a principal vantagem pode ser entendida como a capacidade de continuar com rotinas e ter um tempo de recuperação menor. Dessa forma, o afastamento de treinos e competições pode ser reduzido, desde que todas as recomendações sejam seguidas. 

Olhando para saúde e qualidade de vida das pessoas, é importante ressaltar que a principal diferença entre tratamentos invasivos e tratamentos não invasivos é o fato do segundo não apresentar contraindicações. 

Isso quer dizer que não há riscos, perigo e restrições para realização. Novamente, a única ressalva é quanto à realização dos procedimentos. Independentemente do tipo, qualquer tratamento deve ser feito com base em prescrição médica e, de preferência, com acompanhamento desse profissional. 

Tratamentos não invasivos são o futuro?

É importante destacar que esses tratamentos aparecem em um momento em que as pessoas estão procurando novas soluções para dores, lesões e doenças. 

A tecnologias e a inovação, alinhadas com a cultura milenar sobre medicina, contribuem diariamente para as áreas médicas. Dispositivos, medicamentos, metodologias são aplicadas à rotina de médicos, fisioterapeutas, educadores físicos e demais profissionais para que seus pacientes tenham mais qualidade de vida e saúde.

Dessa forma, podemos pensar que a união entre esses métodos com o avanço da medicina cria uma nova forma de pensar em tratamentos médicos e a tendência é que, cada vez mais, seja uma realidade em hospitais e clínicas médicas. 

Porém, é preciso um alerta: antes de começar um tratamento inovador e não invasivo é essencial consultar com o médico e realmente entender se esse procedimento é adequado e eficaz para sua dor, lesão ou doença. 

5 tipos de tratamento não invasivo para lesões ortopédicas

Antes de apresentarmos os tratamentos, é preciso destacar que esse conteúdo trata-se de conteúdo informativo e educativo. Dessa forma, não deve ser usado para base para diagnósticos, receitas e medicação própria. 

Apenas médicos podem receitar tratamentos. 

Com esse detalhe esclarecido, os tratamentos não invasivos, ou minimamente invasivos como são chamados, já são comuns em algumas áreas como medicina estética, principalmente quando olhamos para cirurgias plásticas. 

Na área ortopédica, é uma tendência que cresce a cada ano. Atualmente, podemos destacar 5 tratamentos minimamente invasivos que já são realizados aqui no Brasil. Confira quais são:

1. Subcondroplastia para artrose no joelho

A artrose no joelho é uma das principais lesões ortopédicas que impactam a principal articulação do corpo humano. Além de mudança em hábitos, um dos tratamentos tradicionais para essa lesão é o procedimento cirúrgico. 

Porém, há algum tempo, é possível contar com tratamento minimamente invasivo para artrose no joelho. O método desenvolvido nos Estados Unidos foi lançado em 2016 e é chamado de subcondroplastia. 

O desgaste da cartilagem articular é tratado por meio de uma cirurgia minimamente invasiva para tratar os defeitos do osso. O grande destaque é a recuperação e procedimentos necessários, que, quando comparados ao método tradicional, geram menos danos ao paciente. 

2. Aparelho Pulsed Signal Therapy (PST)

Ainda falando sobre articulações, o PST é um tratamento não invasivo que usa tecnologia para estimular a produção de colágeno, por meio da indução de campo magnético. Esse tratamento, geralmente, é indicado para pessoas diagnosticadas com artrose e artrite. 

Além disso, há relatos de tratamentos eficientes para dores causadas por quadros de hérnia de disco. Tudo isso sem a necessidade de procedimento cirúrgico ou qualquer outro método invasivo. 

3. Recovery Pump

O Recovery Pump é um equipamento de compressão que funciona de forma sequencial, estimulando a capacidade natural do corpo humano de liberar resíduos metabólicos do músculo por meio de níveis de compressão direcionados. Assim, com a utilização desse método, gera-se efeito de bombeamento natural, evitando o acúmulo de fluidos e reduzindo a inflamação em regiões localizadas. 

Dessa forma, esse dispositivo é fundamental para pacientes que precisam de acompanhamento para recuperação muscular após treinos e competições, ou mesmo após cirurgias. Esse método não invasivo reduz dores, edemas e fadiga muscular

Em alguns casos, inclusive, pode ser realizado em casa. No entanto, é preciso contar com um especialista, para orientar sobre a pressão adequada, velocidade e frequência de uso do dispositivo. 

4. Acupuntura

A Acupuntura é um procedimento milenar, presente na cultura da sociedade como um dos principais métodos, inclusive para tratamento de lesões osteoarticulares.   

Quando realizado corretamente, e isso passa por um profissional competente e especializado, a Acupuntura contribui para o tratamento de dores causadas por lesões, traumas ou mesmo dores crônicas

Entorses de tendões, lesão ligamentar, inflamações musculares, lombalgias e cervicalgias são algumas das doenças que já contam com soluções da Acupuntura para seu tratamento. E claro, sem que seja necessário nenhum procedimento invasivo, portanto, apesar do uso de agulhas, é considerado um tratamento não invasivo. 

5. Terapia por ondas de choque

Esse é um método não invasivo utilizado para tratamento de lesões ortopédicas, principalmente aquelas que geram dores músculo-esqueléticas crônicas em atletas amadores ou profissionais ou mesmo para quem realiza exercícios físicos para iniciantes

Esse tratamento é composto por ondas acústicas que possuem alta intensidade, interagindo e estimulando biologicamente os tecidos do corpo humano. Como resultado temos a neovascularização e reversão da inflamação crônica e o estímulo para a produção de colágeno e dissolução de calcificações. 

Aqui na Clínica Vicci, além de contarmos com todo acompanhamento médico, também acreditamos que tratamentos não invasivos podem ser utilizados. Por isso, contamos com um dos melhores aparelhos disponíveis no mercado para realização dessa terapia por ondas de choque

Todo o procedimento é realizado por um ortopedista qualificado que, alinhado a outros treinamentos possibilita a recuperação de lesões e a redução de dores em nossos pacientes. 

Se você tem interesse em tratamentos não invasivos, entre em contato com a gente e marque agora uma consulta com um ortopedista que irá te orientar e receitar o melhor tratamento. 

Leave a comment