Skip links
fraturas de calcâneo

Fratura de calcâneo: pé quebrado quanto tempo de repouso

Fraturas de calcâneo são comuns entre os atletas, mas elas podem acontecer a qualquer pessoa. Elas são um dos tipos mais dolorosos de lesões que podem levar à necessidade de cirurgia e a um longo período de recuperação. Neste artigo, vamos falar sobre as causas, sintomas, tratamento, o que é necessário para se ter uma recuperação bem-sucedida e prevenção de fraturas de calcâneo. Ficou interessado? Então vamos lá!

Causas de fratura do calcâneo

As fraturas de calcâneo geralmente ocorrem devido a uma queda de altura, como de uma escada, de uma superfície elevada ou de um acidente de carro. Essas fraturas também podem ocorrer durante atividades esportivas de alto impacto, como salto em altura ou esqui. Outras possíveis causas incluem:

  •  Compressão constante e repetitiva, como correr ou caminhar por longas distâncias.
  •  Trauma direto, como uma pancada forte no calcanhar.
  •  Osteoporose ou outras condições que enfraquecem os ossos.

Fatores de risco para fratura do calcâneo incluem idade avançada acima dos 65 anos, devido à perda progressiva de tecido ósseo com a idade, tabagismo, dieta pobre em nutrientes essenciais para os ossos e excesso de álcool. Pessoas que têm problemas nos pés, como artrite ou pé plano, também podem ter maior risco de fratura do calcâneo.

Fratura no calcanhar sintomas

Identificar precocemente os sintomas dessa lesão é essencial para proporcionar o tratamento adequado e evitar possíveis complicações futuras. Os principais sintomas de fraturas de calcâneo incluem:

  • Dor intensa no calcanhar, podendo se espalhar para o tornozelo e a perna;
  • Inchaço na região do calcanhar;
  • Hematomas ao redor do calcanhar e tornozelo;
  • Inabilidade de andar ou apoiar o pé no chão;
  • Dificuldade para movimentar o pé ou os dedos;
  • Sensação de formigamento ou dormência no pé;
  • Deformidade do calcanhar ou do pé.

É importante ressaltar que em alguns casos a fratura no calcâneo pode ser assintomática, especialmente em idosos ou pessoas com osteoporose, o que pode dificultar o diagnóstico precoce. Por isso, recomenda-se a realização de exames de imagem, como radiografias e tomografias, para investigar a presença de fraturas na região do calcanhar em caso de traumas ou quedas.

Tratamento: Como tratar fratura no osso do calcâneo?

Existem diferentes opções de tratamento para fraturas de calcâneo, que vão depender da gravidade da lesão e das necessidades individuais de cada paciente. Alguns dos tratamentos mais comuns incluem:

  • Imobilização: o uso de gesso, bota ou outra proteção que mantenha o pé imóvel para que o osso possa cicatrizar.
  • Cirurgia: em casos mais graves, a cirurgia de fratura de calcaneo pode ser necessária para realinhar e fixar a fratura. Dependendo da gravidade da fratura, pode ser utilizada uma técnica minimamente invasiva ou uma cirurgia aberta.
  • Fisioterapia: uma vez que o osso tenha cicatrizado, é importante realizar exercícios de fisioterapia para fortalecer a musculatura ao redor do pé e melhorar a mobilidade.
  • Medicamentos: o médico pode prescrever medicamentos para aliviar a dor e a inflamação.

Em alguns casos, pode ser necessário combinar diferentes métodos de tratamento. O tempo de recuperação varia de acordo com o tipo de lesão e o tratamento escolhido, mas costuma levar de três a seis meses. É importante seguir as orientações médicas e realizar as consultas de acompanhamento para garantir uma recuperação completa e evitar possíveis complicações.

Fratura no calcanhar tempo de recuperação

Para uma recuperação bem-sucedida de fraturas de calcâneo, é necessário seguir as orientações médicas e fisioterapêuticas de forma rigorosa, o que geralmente inclui:

  • Repouso e imobilização adequado do pé afetado, com o uso de gesso, tala ou bota ortopédica, pelo tempo determinado pelo médico;
  • Seguir corretamente com medicamentos prescritos pelo médico;
  • Fazer fisioterapia para ajudar na recuperação da força e da mobilidade do pé, incluindo exercícios de alongamento e fortalecimento muscular;
  • Uso correto de dispositivos de apoio, como muletas ou andadores, para reduzir o peso e a pressão sobre o pé afetado;
  • Adoção de uma dieta equilibrada e rica em nutrientes para ajudar na recuperação óssea;
  • Evitar atividades que possam colocar pressão excessiva no pé afetado até que a recuperação esteja completa;
  • Seguir o acompanhamento médico regular para monitorar o progresso da recuperação e fazer os ajustes necessários no tratamento.

Quando ao tempo de recuperação de uma fratura no calcanhar pode variar significativamente dependendo da gravidade da fratura, do tratamento recebido e das características individuais do paciente. Aqui estão algumas estimativas gerais, mas lembre-se de que cada caso é único, e o acompanhamento médico é essencial para determinar o tempo de recuperação específico:

Fratura por estresse ou fissura: Fraturas pequenas ou fissuras no calcanhar, que não envolvem deslocamento significativo dos ossos, podem levar de algumas semanas a alguns meses para cicatrizar. O repouso e a imobilização costumam ser suficientes para essas fraturas.

Fraturas por compressão ou impacto: Fraturas que resultam de impacto direto, como uma queda de altura, podem levar de 6 a 12 semanas para cicatrizar adequadamente. O tratamento pode envolver imobilização com gesso, bota ortopédica ou até mesmo cirurgia em casos graves.

Fraturas deslocadas: Fraturas em que os fragmentos ósseos estão desalinhados exigem um tempo de recuperação mais longo, que pode variar de 3 a 6 meses ou mais. O tratamento geralmente inclui cirurgia para realinhar e fixar os ossos.

Cirurgia: O tempo de recuperação após a cirurgia de fratura no calcanhar pode ser prolongado. Embora muitos pacientes possam começar a colocar peso sobre o pé após algumas semanas, a recuperação completa pode levar vários meses.

É fundamental seguir rigorosamente as orientações médicas durante o período de recuperação. Isso pode incluir fisioterapia para ajudar na reabilitação e recuperação da força e da mobilidade do pé.

Fratura de calcâneo fisioterapia na reabilitação e recuperação

A fisioterapia desempenha um papel fundamental na recuperação e reabilitação de uma fratura de calcâneo (osso do calcanhar). A fratura de calcâneo pode ser bastante desafiadora devido à sua localização e à complexidade da articulação do pé.

O objetivo da fisioterapia nesses casos é ajudar o paciente a recuperar a função normal do pé, a mobilidade, a força muscular e a capacidade de realizar suas atividades diárias. Separamos alguns dos principais benefícios da fisioterapia na recuperação de uma fratura de calcâneo:

  1. Restauração da mobilidade: Após uma fratura de calcâneo, o pé pode ficar rígido e perder a mobilidade. O fisioterapeuta utiliza exercícios de mobilização, alongamentos e técnicas manuais para ajudar a restaurar a amplitude de movimento normal da articulação do tornozelo e do pé.
  2. Fortalecimento muscular: A fraqueza muscular é comum após uma fratura. A fisioterapia inclui exercícios específicos para fortalecer os músculos do pé, tornozelo e perna, auxiliando na recuperação da estabilidade e no suporte de peso adequado.
  3. Melhoria da marcha e equilíbrio: A fisioterapia ajuda a melhorar a marcha (caminhada) e o equilíbrio, o que é especialmente importante após uma lesão no pé. O fisioterapeuta pode utilizar exercícios funcionais e técnicas de reeducação da marcha para promover uma locomoção segura.
  4. Controle da dor e inchaço: A terapia física pode incluir modalidades terapêuticas, como terapia com gelo ou calor, para ajudar a controlar a dor e o inchaço na área afetada.
  5. Treinamento funcional: À medida que o paciente progride em sua recuperação, a fisioterapia pode envolver treinamento funcional, que inclui atividades específicas relacionadas às atividades diárias e aos objetivos do paciente, como voltar a praticar esportes.
  6. Acompanhamento da Recuperação: O fisioterapeuta acompanha o progresso do paciente ao longo do tempo e faz ajustes no programa de reabilitação conforme necessário. Isso garante uma abordagem personalizada de acordo com as necessidades individuais de cada paciente.
  7. Educação e Prevenção: O fisioterapeuta educa o paciente sobre como prevenir lesões futuras, destacando medidas de precaução e exercícios de fortalecimento contínuos para manter a saúde do pé.

É importante ressaltar que a fisioterapia é um componente essencial da recuperação da fratura de calcâneo e deve ser realizada sob a orientação de um fisioterapeuta licenciado. O programa de reabilitação é adaptado às necessidades específicas do paciente e ao tipo de fratura. Portanto, o acompanhamento médico e a colaboração com profissionais de saúde são cruciais para uma recuperação bem-sucedida.

Pé quebrado quanto tempo de repouso?

O tempo de repouso necessário para um pé quebrado varia de acordo com diversos fatores, como:

  • Tipo de fratura: Fraturas simples geralmente levam de 6 a 8 semanas para cicatrizar, enquanto fraturas complexas podem levar até 12 semanas ou mais.
  • Localização da fratura: Fraturas nos dedos do pé geralmente levam menos tempo para cicatrizar do que fraturas no tornozelo ou no pé.
  • Idade do paciente: Crianças geralmente se recuperam de fraturas mais rapidamente do que adultos.
  • Saúde geral do paciente: Pacientes com boa saúde geral geralmente se recuperam de fraturas mais rapidamente do que pacientes com problemas de saúde pré-existentes.
  • Tratamento: O tempo de repouso pode ser menor se o tratamento for realizado com cirurgia.

Em geral, o tempo de repouso para um pé quebrado pode ser de:

  • 20 dias a 6 meses: Esse é o tempo que a maioria das pessoas precisa para se recuperar de uma fratura no pé.
  • 6 semanas a 12 meses: Esse é o tempo que as pessoas com fraturas complexas ou graves podem precisar para se recuperar.

Durante o período de repouso, é importante:

  • Evitar colocar peso no pé: Use muletas ou andador para se locomover.
  • Elevar o pé: Mantenha o pé elevado acima do nível do coração para reduzir o inchaço.
  • Gelo: Aplique gelo no pé por 20 minutos a cada 2 horas para reduzir a dor e o inchaço.
  • Compressão: Use uma bandagem elástica para comprimir o pé e reduzir o inchaço.
  • Elevação: Mantenha o pé elevado o máximo possível para reduzir o inchaço.
  • Medicamentos: Tome medicamentos para dor e inchaço conforme prescrito pelo médico.
  • Fisioterapia: Faça fisioterapia para recuperar a força, flexibilidade e amplitude de movimento do pé.

É importante consultar um médico para obter um diagnóstico preciso e determinar o tempo de repouso necessário para o seu caso específico.

Fratura calcâneo sequelas

A fratura de calcâneo, também conhecida como fratura do calcanhar, é uma lesão grave que pode ter diversas sequelas, impactando a qualidade de vida do indivíduo. As sequelas mais comuns incluem:

  1. Dor: A dor crônica no calcanhar é a sequela mais frequente, podendo ser persistente e limitar as atividades diárias.
  2. Artrose: O desenvolvimento de artrose na articulação subtalar é comum, principalmente em casos de fraturas complexas ou mal tratadas.
  3. Deformidade: A deformidade do calcâneo pode ocorrer, alterando o formato do pé e dificultando o uso de calçados.
  4. Rigidez: A rigidez articular, especialmente na articulação subtalar, pode limitar a mobilidade do tornozelo e do pé.
  5. Perda de função: A perda de função do pé pode afetar a marcha, a corrida e a prática de atividades físicas.
  6. Neuropatia: A compressão ou lesão de nervos pode causar dormência, formigamento e fraqueza muscular no pé.
  7. Síndrome compartimental: O aumento da pressão dentro de um compartimento muscular pode levar à compressão de nervos e vasos sanguíneos, necessitando de tratamento urgente.
  8. Infecção: A infecção óssea (osteomielite) é uma complicação grave que pode necessitar de tratamento prolongado com antibióticos ou cirurgia.
  9. Trombose venosa profunda: A formação de coágulos sanguíneos nas veias profundas pode ser um risco em pacientes com fratura de calcâneo, especialmente aqueles que ficam imobilizados por longos períodos.

Fatores de risco para sequelas:

  • Fraturas complexas ou com deslocamento
  • Atraso no diagnóstico ou tratamento
  • Idade avançada
  • Doenças preexistentes, como diabetes ou tabagismo
  • Falta de fisioterapia adequada

Prevenção de sequelas:

  • Diagnóstico e tratamento precoces
  • Redução adequada da fratura
  • Imobilização adequada
  • Fisioterapia rigorosa
  • Controle de doenças preexistentes

Prevenção de fraturas no pé

Para prevenir fraturas no calcâneo, é importante manter a mobilidade do tornozelo, fazer alongamentos antes de praticar exercícios físicos, usar calçados adequados e evitar quedas e lesões no pé. Se você tiver outras lesões nos pés, é essencial que você consulte um ortopedista para obter um tratamento adequado

Conclusão

As fraturas de calcâneo podem ser dolorosas e causar sérios problemas de movimento, portanto, é importante saber o que causa esse tipo de lesão, os sintomas, o tratamento e as formas de preveni-las. Se você suspeitar que sofreu uma fratura do calcâneo, não perca tempo e procure um ortopedista para iniciar o tratamento. 

Na Clínica Vicci em BH você encontra especialistas em ortopedia e fisioterapia focados em levar qualidade de vida e saúde para nossos pacientes da melhor forma possível. Entre em contato conosco e agende uma consulta.

 

Leave a comment